Instituto de Hematología e Inmonilogía

 O INSTITUTO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA (IHI) foi fundado em 1966 e como centro de ciência e inovação tecnológica do Ministério de Saúde Pública de Cuba. Desde sua fundação, foram desenvolvidas técnicas bioquímicas e de engenharia genética que permitiram a introdução do diagnóstico pré-natal na anemia falciforme e na hemofilia, doenças crônicas de origem genética, além de avanços notáveis no estudo de variantes estruturais de enzimas e de hemoglobinas anormais e, mais recentemente, técnicas foram introduzidas para o rastreio de porfirias.

As técnicas de introdução e utilização de biologia molecular, imunologia e aplicação de anticorpos monoclonais permitiu estabelecer um diagnóstico mais preciso no que diz respeito malignidades hematológicas e especificamente no tratamento da leucemia e imunodeficiência, que contribuem para ter um prognóstico mais preciso para a aplicação dos tratamentos mais adequados.

O uso de novas e mais complexas protocolos terapêuticos para o tratamento de tais doenças tornou-se possível aumentar a porcentagem de remissão completa em leucemias agudas e cura em cerca de 70% na leucemia linfoblástica (ALL) em crianças. tratamentos com interferão, ácido retinóico e o trióxido de arsénio, como nos países mais desenvolvidos, também são usadas em outros tipos de leucemias, crianças e adultos, e transplante de medula óssea (TMO) e métodos de aférese se aplica e transfusão de troca em pacientes que necessitam.

Todos esses avanços tornaram possível estender a atenção humanitária a um número considerável de pacientes de outros países, especialmente na América Latina e na África. Destaca-se em nossa história, a realização de tratamentos para crianças com hemopatias malignas, incluindo transplantes de medula óssea, às vítimas da catástrofe de Chernobyl, na Ucrânia.

Atualmente, a terapia celular regenerativa se espalhou para 11 das 15 províncias do país com bons resultados e mais de 6000 pacientes foram tratados, sem manifestações secundárias significativas. As especialidades que têm tratado o maior número de pacientes são angiologia e ortopedia.

Em Cuba, a aplicação de células estaminais tem sido controlado projectos de investigação científica e eticamente suportado pela utilização de células estaminais adultas autólogas extraídos a partir de medula óssea ou de sangue periférico estimuladas anteriormente, como um conjunto de células estaminais incluindo em um concentrado de células mononucleares. Essas células, por pertencerem ao paciente, não enfrentam problemas éticos ou rejeição imunológica.

Actualmente, esta terapia pode ser aplicada na especialidade de angiologia, apenas em pacientes com isquemia dos membros inferiores pela aterosclerose ou arterite superior ou inferior, de preferência, em pacientes em estádios precoces da doença; em Ortopedia e Traumatologia em pacientes com fraturas complexas, pseudo-artrose, osteoartrose do joelho e necrose asséptica do quadril.
VERIFICAR PROGRAMAS DE
HEMATOLOGIA E TERAPIA CELULAR
Instituto de Hematología e Inmonilogía de Cuba

Medical Services Providers